Centro Cultural Português no Luxemburgo
Concurso: Procedimentos Concursais em 2019 relativos à Bélgica

Aviso de Abertura de procedimento concursal simplificado local (Bélgica) – Horário BRU01

Abertura de Procedimento Concursal Simplificado destinado ao recrutamento local de docentes do ensino português no estrangeiro para Educação Pré-Escolar, língua francesa, horário a prover – BRU01.

Agenda Cultural

Cinema : Quinzena do Cinema Português
Locais: No Ciné-Utopia, no Centro Cultural Português - Camões e no MUDAM (Consultar programa)
Data: de 10 a 19 de novembro
Programa
Convite


Cinema
Quinzena do Cinema Português

O Centro Cultural Português - Camões tem o prazer de divulgar o Programa da Quinzena do Cinema Português que decorrerá de 10 a 19 de novembro de 2017 no Ciné-Utopia, no Centro Cultural Português - Camões e no MUDAM.

Cinema

O filme de abertura da quinzena será “A mãe é que sabe”, do realizador Nuno Rocha.

Voltar ao topo
Exposição : Miguel Branco - PARA SEMPRE
Local: Camões - Centro Cultural Português Luxemburgo
Data: 07 de novembro a 22 de janeiro
Nota biográfica
Curriculum


Miguel Branco
PARA SEMPRE

“Para Sempre” é o título da exposição individual de Miguel Branco no Centro Cultural Português -Camões no Luxemburgo. Expondo regularmente desde 1988, Branco desenvolveu um trabalho muito pessoal utilizando uma variedade de media, incluindo a pintura, a escultura, o desenho, a instalação e a imagem digital.

Conhecido pelo seu particular uso da escala e por ter a imagem do animal como um dos seus temas mais presentes, o seu trabalho é baseado em imagens existentes. Estas imagens são retiradas de diferentes fontes e de diferentes períodos da História da Arte, dos media, como fotografias de jornais, a ficção científica, a banda desenhada, imagens que circulam na internet. Este uso de diferentes níveis históricos faz parte de um sistema construtivo, tal como expresso nas palavras do crítico Bernardo Pinto de Almeida:

Magda Delgado

“O artista disseca, como se com um bisturi, inúmeras representações clássicas que vai desconstruindo e depois aplica-se a remontá-las produzindo enigmáticas imagens híbridas. Estas imagens são depois meticulosamente (re)construídas, (re)feitas, por sucessivos processos de reelaboração, pela montagem e colagem a partir de elementos dispersos colhidos em outras fontes, muitas vezes virtuais, fazendo uso abundante e livre das imensas possibilidades que as novas tecnologias da imagem permitem, como sejam o aumento e a diminuição da escala, a ampliação, o apagamento, o cropping, a colagem, a montagem, etc. Estas formas, que por sua vez re-faz e re-modela, fazendo-as passar pela sua própria intervenção manual, resultam sempre em novas imagens, já que são obtidas através de um sem número de operações de virtualização que anulam todo o vestígio daquilo a que chamamos vulgarmente uma origem e que apagam a marca de sequer ter havido uma imagem primeira.”

(Extracto do texto de Bernardo Pinto de Almeida do catálogo da exposição individual de Miguel Branco “The Silence of Animals”, Schloss Ambras, Innsbruck, Kunsthistorisches Museum, Áustria, 2015)

Magda Delgado

Nesta exposição será mostrado, juntamente com obra recente do artista, um conjunto de esculturas de sua autoria que pertencem à coleção do Musée d´Art Moderne Grand-Duc Jean, do Luxemburgo.

A inauguração da exposição terá lugar no dia 6 de Novembro, pelas 18h30, no âmbito da ArtWeek Luxembourg, 2017.

Voltar ao topo
Concerto : Sofia Ribeiro - “Lunga”
Local: Centre des Arts Pluriels Ettelbruck - CAPE
Data: 20 de outubro, pelas 20H30
Poster


Sofia Ribeiro
Lunga

O Centro Cultural Português-Camões tem o prazer de divulgar o concerto de Sofia Ribeiro “Lunga”, no Centre des Arts Pluriels Ettelbruck - CAPE, dia 20 de outubro, pelas 20h30.

Lunga é o título do próximo álbum de Sofia Ribeiro cheio de emoções, imagens e poesia. No Centre des Arts Pluriels Ettelbruck – CAPE, no Luxemburgo, dia 20 de Outubro, às 20h30, Sofia Ribeiro apresentará o seu novo projeto e cantará também títulos do seu álbum Mar Sonoro, de 2016.

Cantora e compositora das suas próprias músicas com arranjos do pianista colombiano Juan Andrés Ospina, Sofia Ribeiro liga elementos do jazz e da música brasileira e portuguesa. Lunga oferece ainda alguns títulos de fado, de canções sul-africanas e adaptações de poemas de autores portugueses, como Sophia de Mello Breyner e Fernando Pessoa.

Sofia Ribeiro vive atualmente em Nova Iorque e é artista residente no famoso Carnegie Hall.

Conhecida pelo seu belíssimo timbre, pela voz profunda, pela enorme versatilidade e capacidade de expressão, assim como pelas fortes atuações ao vivo, Sofia Ribeiro é uma das cantoras portuguesas com maior projeção internacional.

Voltar ao topo
Evento: Finissage e lançamento do catálogo da exposição
Local: Camões - Centro Cultural Português Luxemburgo
Morada: 4 Place Joseph Thorn L-2637
Data: 29 de setembro, pelas 18H30
Convite


MAGDA DELGADO
FINISSAGE E LANÇAMENTO DO CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO
L’ERMITE DEVANT LE MYSTÈRE


Assinalando o fim da exposição L’Ermite devant le Mystère, de Magda Delgado, terá lugar no Centro Cultural Português - Camões, no dia 29 de setembro corrente, o lançamento do respetivo catálogo.

O Centro Cultural Português – Camões convida-o assim a descobrir através desta obra uma perspetiva mais aprofundada dos significados e criação da obra de Magda Delgado.Com texto bilingue (PT/FR) de Nelson Pereira Marques, o catálogo contém ainda imagens da exposição.

Com o apoio de Bexeb e Sopinor

Voltar ao topo
Conferência-multimédia : Rui Daniel Silva - “Viagens à volta do mundo”
Local: Camões - Centro Cultural Português Luxemburgo
Data: 14 de julho, pelas 19H00
Poster


Rui Daniel Silva
Viagens à volta do mundo

O Centro Cultural Português no Luxemburgo - Camões - tem o prazer de convidar V. Exª para assistir à conferência-multimédia “Viagens à volta do mundo”, proferida pelo professor e pianista Rui Daniel Silva, que terá lugar nas instalações do CCP, 4, Place Joseph Thorn, no dia 14 de julho, pelas 19H00.

Rui Daniel Silva nasceu em 1977 no Luxemburgo onde viveu durante 15 anos. Obteve o grau de Licenciatura em Ensino da Música, vertente de piano pela Universidade de Aveiro.

Actualmente é professor de piano no Orfeão de Leiria e pianista no Coro Ninfas do Lis. Para além da música tem outra paixão que são as inúmeras viagens realizadas à volta dos cinco continentes. ...

Voltar ao topo
Exposição: Magda Delgado - L’ERMITE DEVANT LE MYSTÈRE
Local: Camões - Centro Cultural Português Luxemburgo
Data: de 29 de junho a 30 de setembro 2017
Horário: de segunda à sexta-feira, das 9h00 às 17h30
Convite
Mais informação...


Magda Delgado
L’ERMITE DEVANT LE MYSTÈRE

A exposição L’Ermite devant le Mystère encerra um conjunto de obras melancólicas daquele que é um asceta da floresta, trabalhando a partir das suas meditações solitárias acerca do Absoluto circunscritivo e incircunscrito. «O ermita (ou, neste caso, a artista) encontra recolhimento na floresta, as instalações na galeria arrancam-no desse lugar e dessa vivência, o espaço da galeria, por assim dizer, guilhotina, esquarteja o espaço de recolhimento. Na galeria nós estamos diante de uma obra de arte, em contrapartida, diante de uma paisagem natural, numa montanha, numa floresta, estamos também na paisagem, ou dentro dela, expostos aos elementos e a todos os perigos inerentes a esses lugares» (in catálogo da exposição).

Magda Delgado

Voltar ao topo
Exposição: Augusto Alves da Silva - CIELO
Local: Centro Cultural Português – Camões
Data: de 26 de abril a 22 de junho de 2017
Mais informação...


Augusto Alves da Silva
CIELO

No âmbito do Mês Europeu da Fotografia 2017 no Luxemburgo, o Centro Cultural Português – Camões tem o prazer de anunciar a exposição de fotografia que terá lugar nas suas instalações de 25 de abril a 22 de junho.

Paulo Brighenti

Paulo Brighenti

Paulo Brighenti

As 91 fotografias que constituem a exposição Cielo foram escolhidas a partir de uma série muito mais vasta, que o fotógrafo Augusto Alves da Silva realizou, conduzindo a uma velocidade média de 40 km/h. Estas fotografias são o relato de uma travessia de Espanha por estradas de terra.

Augusto Alves da Silva nasceu em Lisboa em 1963, vive e trabalha em Tremez, Santarém.
Voltar ao topo
Concerto: INUK - Projet ABRI’LUX” - Homenagem ao 25 de Abril e à revolução portuguesa

Data: 25 de abril de 2017, pelas 20h00.

Mais informação...


“Um grupo de músicos de Portugal e do Luxemburgo vai celebrar o 25 de Abril com um concerto em tributo aos “cantautores” da Revolução dos Cravos que inclui também grandes nomes do fado e do jazz.

Temas de Zeca Afonso, José Mário Branco, Sérgio Godinho, Fausto, Mário Laginha e Carlos Paredes fazem parte do programa do espectáculo “Abri’Lux“, que vai contar com a cantora Luísa Vieira e músicos bem conhecidos no Luxemburgo, incluindo o contrabaixista Marc Demuth e o baterista Jeff Herr. Um reportório a que os músicos vão dar novas roupagens, com uma sonoridade jazz que põe a tónica na criatividade e na improvisação.”

INKU

Este espectáculo é organizado pelo Centro Cultural Regional Dudelange Opderschmelz com o apoio da Embaixada de Portugal e do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua no Luxemburgo.


Ana Luísa Amaral


LogoCamoes

Voltar ao topo

Conferência: Ana Luísa Amaral
Local: Centro Cultural Português, Camões I.P. - Luxembourg
Data: 01 de abril de 2017, pelas 16h00.

No âmbito do Printemps des Poètes, a poeta Ana Luísa Amaral profere uma conferência, no dia 1 de Abril, pelas 16h, no Camões - Centro Cultural Português do Luxemburgo, com o título “Das lembranças mais puras: ou de fogo”.

10e_Printemps_2017

Poeta, escritora, tradutora e professora na Universidade do Porto, o seu primeiro volume de poesia “Minha Senhora de Quê” foi publicado em 1990. O título é uma alusão à obra “Minha Senhora de Mim” de Maria Teresa Horta (1971), inscrevendo assim explicitamente a sua obra na genealogia emergente da poesia das mulheres portuguesas.

Desde então, já publicou 14 originais de poesia e duas coletâneas de poemas, além de várias traduções (incluindo poesia de William Shakespeare, Emily Dickinson e John Updike) e de livros para as crianças. Recebeu, entre muitos outros, o Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores, em 2008.

Na conferência que terá lugar no CCP-Luxemburgo, Ana Luísa Amaral traçará um itinerário pelos caminhos da sua poesia, da escrita de mulheres e das questões em torno da escrita feminina.

Voltar ao topo
Poesia: 10e Printemps des Poètes - Luxembourg
Local: Luxemburgo
Data: de 31 de março a 2 de abril de 2017
Convite

A Coordenação de Ensino Português no Luxemburgo tem o prazer de divulgar a 10a edição da Primavera dos Poetas, iniciativa organizada no Luxemburgo desde 2005 pela associação PPL (Printemps des Poètes – Luxembourg), que decorrerá de 31 de março a 2 de abril, sob o tema “Afrique(s)”.

10e_Printemps_2017

Este ano, Portugal estará representado pela poetisa Ana Luísa Amaral na abertura oficial do evento, no dia 31 de março, às 19h30, na Kulturfabrik, 116, rue de Luxembourg L-4221 Esch-sur-Alzette, e no dia 1 de abril, às 20 h, no Teatro Nacional do Luxemburgo,194, route de Longwy L-1940 Luxembourg.

Autora de uma obra numerosa e com várias distinções, destacam-se: Vozes (Prémio de Poesia António Gedeão), A Génese do Amor (Prémio Literário Casino da Póvoa-Correntes d’Escritas), Entre Dois Rios e Outras Noites (Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores). Em 2007, foi galardoada com o Prémio de Poesia Giuseppe Acerbi, em Itália.

O Olhar Diagonal das Coisas, A História da Aranha Leopoldina, Próspero Morreu ou Amor aos Pedaços são títulos de livros de poesia e infantis que já foram levados à cena em espetáculos de teatro e leituras encenadas.

Ana Luísa Amaral é doutorada em Literatura Norte-americana, com uma tese sobre Emily Dickinson. As suas áreas de investigação são Poéticas Comparadas e Estudos Feministas. É co-autora do “Dicionário de Crítica Feminista” (2005), coordenou a edição anotada de “Novas Cartas Portuguesas” (2010) e está representada em inúmeras antologias portuguesas e estrangeiras.

Voltar ao topo
Exposição: Paulo Brighenti - Père
Local: Centro Cultural Português, Camões I.P. - Luxembourg
Data: de 17 de fevereiro a 13 de abril de 2017
Mais informação...


Paulo Brighenti
Père

Paulo Brighenti expõe as suas pinturas no Centro Cultural Português - Camões do Luxemburgo de 17 de fevereiro a 13 de abril.
Na exposição com o título Père, Paulo Brighenti prossegue a sua exploração da luz enquanto fator de definição e dissolução da imagem visual, apontando um tempo que é efémero e transitório. As pinturas e os desenhos apresentados são ecos de um testemunho familiar que narra a travessia de uma fronteira entre territórios em conflito.

Paulo Brighenti

Paulo Brighenti nasceu em Lisboa em 1969 e vive e trabalha na capital portuguesa. Expõe desde a década de 1990. Entre as exposições individuais destacam-se: Pai, Travessa da Ermida, Lisboa (2017); Let the dirt fall, let heads roll, Galeria Pedro Oliveira, Porto; Família, Galeria Baginski, Lisboa (2016); Skiin, Nässjö Konstall, Nässjö, Suécia (2015); Pó, Fundação Carmona e Costa, Lisboa; Pó, Rooster Gallery, Nova Iorque, EUA (2014); A Grande Fogueira, Appleton Square, (2013).
Voltar ao topo
Fado: Gisela João
Local: CAPE - Centre des Arts Pluriels Ettelbruck
1, place Marie-Adélaïde
L-9063 Ettelbruck

Data: 10 de fevereiro de 2017 - às 20h
Mais informação...


Gisela João
Nua

Concerto no dia 10 de fevereiro, no CAPE - Centre des Arts Pluriels Ettelbruck. Pela primeira vez no Luxemburgo, a artista apresentará o seu segundo album "Nua".

GiselaJoao

Voltar ao topo
Exposição: "VESTÍGIOS DO REAL" de Nuno Cera
Local: Centro Cultural Português, Camões I.P. - Luxembourg
Data: de 9 de dezembro a 08 de fevereiro
Mais informação...


NUNO CERA
"Vestígios do Real"

Nasceu em Beja em 1972. Viveu e trabalha em Lisboa.
É fotógrafo e cineasta, o seu trabalho aborda questões espaciais, arquitectura e situações urbanas, através de formas ficcionais, poéticas – documentais.

NunoCera

As imagens presentes em Viagem ao Invisível não querem esquecer nem se libertar do real. Estão implicadas nele. Na sua autonomia artística, Viagem ao Invisível apresenta a revelação da experiência dos espaços. Neles o invisível expressa-se e adensa-se, insistindo e persistindo na memória das obras. É neste sentido que o invisível habita o visível, iluminando estes “vestígios do real”.
As aves de rapina levantaram voo. Metamorfosearam-se em personagens de visita aos lugares. Numa estranha reversibilidade, a objectiva fixa da máquina capta os disparos dos seus olhares curiosos e precisos sobre o real...